Terça-feira, 22 de Junho de 2004

A especialização educativa das escolas.

Numa passagem por um blog dedicado ao ensino superior encontrei dois comentários que versavam a necessidade de um encurtamento dos planos de estudo na sequência do processo de Bolonha. Alguém dizia (o autor desculpar-me-á por esta grave omissão:) que uma das grandes metas do ensino superior é conduzir os alunos à reflexão, ao desenvolvimento da capacidade crítica que se consubstancia nesta grande aquisição que é o aprender a pensar. Alguém acrescentava, e bem, que o saber não deveria ser negligenciado. Surgem as grandes polémicas quando se trata de seleccionar (e reduzir?) os conteúdos culturais.
Olhando para o nível básico e secundário, a escola cumpre a sua função de inserção dos sujeitos na cultura através da apropriação do saber (quais?). É esta a especialização da escola e da educação. Uma oportunidade para fazer entranhar cultura no indivíduo (com diria o professor Patrício). À escola incumbe a filtragem dos conteúdos culturais tendo em conta as necessidades dos indivíduos que a formam.
Subscrevo inteiramente a ideia defendida pelo meu amigo Manuel que rejeita o centralismo (constrangedor das iniciativas locais) consubstanciado na homogeneização cultural (que tem dificuldade em lidar e integrar as diferenças).
publicado por Miguel Pinto às 15:44
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De miguel sousa a 23 de Junho de 2004 às 02:01
A arte de gerir os conteudos curriculares deve enfatizar o equilibrio dessas duas valências:o desenvolviemnto da capacidade critica e o saber. Contudo ainda não estou completamente convencido que o "ensino" de uma não possa implicar a outra, a esse nível continuo acreditando que o ensino não superior leva alguma vantagem, pois deve (nem sempre é) ser mais sensível à questão.

Para finalizar gostava de vincar a minha posição acerca da necessidade do aluno ser visto, como muito mais do que "um simples aluno" seja qual for o nível de ensino. Continuo a colocar o homem no centro da educação, um homem que é constituido por o aluno, pelo professor e pelo(s) processo(s) cultural(is) que o envolve.
aquele abraço fraterno
De MJMatos a 22 de Junho de 2004 às 17:42
Tenho estado a ler sem comentar, porque tenho apreciado alguns argumentos por aqui desenvolvidos. Este é bem interessante. Vamos a ver o que dizem os comentadores "residentes".

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Outro Olhar... só no blog...

. Novo lugar.

. Exemplos que (nada) valem...

. (Des)ordem...

. Outros olhares... a mesma...

. E esta?

. O blogspot encalhou.

. Bolonha aqui tão perto.

. Olhar distante.

. Faz de conta.

.arquivos

. Julho 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds