Domingo, 30 de Maio de 2004

Um novo paradigma para o ensino secundário.

É com agrado que acompanho a temática desenvolvida no Que Universidade. Na verdade, a discussão sobre o Ensino Básico e Secundário e a transição do Ensino Secundário para o Ensino Superior tem sido focada, declarada ou contidamente, neste espaço. Do que já foi escrito depreende-se a defesa de um conjunto de rupturas com um modelo de ensino que não tem conseguido responder às necessidades dos alunos e que, por via disso, urge reconfigurar o paradigma da educação secundária.
O que se pretende é: “passar da lógica da obediência e da conformidade à lógica da autonomia e da responsabilidade; da lógica disciplinar à lógica do trabalho de cooperação interdisciplinar; passar da lógica do acesso aos detentores do poder para a lógica da decisão; passar da lógica do funcionário à lógica do profissional; passar da lógica centralista monocêntrica à lógica da descentralização pluricêntrica; passar da lógica da desconfiança à lógica da confiança; passar de uma concepção bancária da formação contínua a uma concepção crítica, centradas nas práticas; passar da lógica de servidor do Estado à lógica de servidor de pessoas” (Alves, 1999).
Sem querer ser repetitivo: não será este um requisito de uma escola personalista (cultural)?
publicado por Miguel Pinto às 21:21
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Jos Manuel Faria a 31 de Maio de 2004 às 14:36
É bom sonhar(utopias), Caro Miguel.
De Joao Soares a 31 de Maio de 2004 às 11:32
Caro Miguel, respondo em poesia

A meu favor
as paredes que insultam devagar
certo refúgio acima do murmúrio
que da vida corrente teime em vir
o barco escondido pela folhagem
o jardim onde a aventura recomeça

Alexandre O`Neil , A meu favor

vamos olhar a transição secundário-universidade com mais pontes e contratualismo solidário e dentor de políticas corajosamente inclusivas.
Abraço
De Miguel Sousa a 30 de Maio de 2004 às 23:16
Caro amigo Miguel, olhar o problema da transição entre o secundraio e o universitário só da parte do "elo mais fraco" (o secundário) faz-me lembrar aquela alegoria do carpinteiro que só v~e no martelo a unica ferramenta...quando o ensino Universitário está uma desgraça
De Miguel Pinto a 30 de Maio de 2004 às 22:23
Não é um favor que lhe faço MJMatos. É o meu dever. Então aqui vai, a obra é a mesma que citei no comentário que fiz no seu blog:
Alves, J. (1999). Crises e dilemas do ensino secundário - Em busca de um novo paradigma. Asa Editores.
De MJMatos a 30 de Maio de 2004 às 22:06
Posso pedir-lhe um favor, Miguel? Quando fizer referências, cite o nome da obra e a editora, se não se importa.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Outro Olhar... só no blog...

. Novo lugar.

. Exemplos que (nada) valem...

. (Des)ordem...

. Outros olhares... a mesma...

. E esta?

. O blogspot encalhou.

. Bolonha aqui tão perto.

. Olhar distante.

. Faz de conta.

.arquivos

. Julho 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds