Quarta-feira, 14 de Abril de 2004

Relacionamento das três dimensões na Escola Cultural.

A escola cultural é exequível. Contudo, esta escola sugere um novo olhar sobre a escola actual e implica uma ruptura com a ideia de escola tradicional. Este esforço de mudança só ocorrerá se suscitar efeitos significativos nas nossas práticas e, fundamentalmente, no desenvolvimento dos alunos.
Sem adesão e participação dos professores, qualquer mudança substancial no sistema educativo estará condenada ao fracasso. É por esse facto que importa clarificar o que se pretende com a Escola Cultural. Deixar que os professores questionem as diversas propostas e se certifiquem que vale a pena mudar. É esse o objectivo deste e dos próximos textos.
Afinal, o que é que se pretende com a Escola Cultural?
"Pretende-se que a Escola Cultural seja tridimensional: que tenha a dimensão do currículo, a dimensão do extracurrículo e a dimensão interactiva ou da interacção dialéctica currículo/extracurrículo.
Todas as dimensões são importantes de per si e no funcionamento de cada uma delas deve ser posto todo o cuidado.
Na Escola Cultural não pode haver, por conseguinte, qualquer secundarização, menorização ou desvalorização do currículo. A Escola Cultural tem de ser, na sua base, uma boa escola curricular.
Também as actividades extracurriculares não devem ser um amontoado mais ou menos amorfo e desorganizado, ou inorganizado, de actividades culturais e desportivas, mas um conjunto estruturado dessas actividades. A dimensão extracurricular deve obedecer a uma rigorosa planificação, ser acompanhada por um grupo coordenador e ser avaliada contínua e periodicamente. As unidades de avaliação periodal são o trimestre e o ano escolar. A dimensão interactiva é muito importante. É ela que garante que as duas outras dimensões não sejam paralelas uma à outra, estanques, sem comunicação entre si. A Escola Cultural é uma escola una: as suas três dimensões são dimensões orgânicas, constituintes de um organismo vivo e uno. A interacção é a articulação telelógica e funcional da dimensão curricular com a dimensão extracurricular. Essa articulação também deve ser orgânica. Não deve fazer-se ao acaso, mas obedecer a uma planificação geral e ser executada no quadro dessa planificação. A interacção não pode ser descontrolada. Deve ser o ponto de encontro de duas coordenações: a das actividades curriculares e a das actividades extracurriculares
." (Patrício, 1996: 188)
publicado por Miguel Pinto às 14:14
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Outro Olhar... só no blog...

. Novo lugar.

. Exemplos que (nada) valem...

. (Des)ordem...

. Outros olhares... a mesma...

. E esta?

. O blogspot encalhou.

. Bolonha aqui tão perto.

. Olhar distante.

. Faz de conta.

.arquivos

. Julho 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds