Segunda-feira, 5 de Abril de 2004

Mais liberdade, maior responsabilidade.

Estaremos todos a viver, numa sala de um escola qualquer, uma fase angustiante do trabalho docente – o momento das avaliações. Interessante, sem dúvida, o post do Manuel já que enuncia uma série de questões que nos ocupam, invariavelmente, nestas ocasiões. Pretender avaliar alunos sem mergulharmos num processo de auto-reflexão seria deplorável. Nesta meta-análise, o sentimento de culpa e a noção de responsabilidade tornam-se inacessíveis sem liberdade. A proletarização do trabalho docente parece restringir a liberdade e a autonomia do professor, desresponsabilizando-o e dissipando, perversamente, o sentimento de culpa.
Será este o caminho que queremos percorrer?
publicado por Miguel Pinto às 20:47
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De whiteball a 5 de Abril de 2004 às 22:16
Concordo com o Manuel Cabeça: isto é tudo muito complicado - eu fico sempre doente, a minha úlcera duodenal começa a doer, a cabeça parece querer explodir e depois entro numa de crise de choro que ...só vendo! E ficam-me dúvidas, e vou atrás...ver no que terei falhado, ver o que poderia ter feito mais, ou como poderia ter feito de forma diferente...Poucas são as pessoas que me compreendem quando atravesso estas fases! Há 19 anos que estou no ensino e é sempre a mesma coisa:deplorável! Fico um farrapo!(passe a metáfora)
Tento ler, saber dos sistemas educativos de outros países com elevado sucesso (como a Finlândia, pexemplo); matriculei-me numa pós graduação para aprender mais sobre tudo isto, que é, afinal, mais do que a minha profissão, a minha vida!Opteip por já há 4 anos dar a maior parte das minhas aulas à noite, ao recorrente - aqui sim, é diferente; não há tanta tensão! Mas, e não sei se me estou a repetir, a Inspecção, desde Janeiro "está para vir" - ainda não veio(ver o recorrente): só pode ser uma estratégia de desgaste psicológico:como assessora do Recorrente é sobre mim que vão andar que nem cães! Porra, se é para vir, venham...mas não me façam andar com medo da própria sombra a sonhar com legislação que nunca saíu, senão nos meus pesadelos...Alguém me acuda, porque eu estou a dar em doida!(desculpem lá o desabafo,) e se algum Sr. Inspector ler isto, peço imensa desculpa, mas coloque-se no meu lugar e vai ver que até o período menstrual lhe vem ( coisas que acontecem e que a natureza não prevê...ora...exactamente)
Abraço
WB
De manuel cabea a 5 de Abril de 2004 às 21:43
Considero determinante, num momento de re-pensamento da profissão docente, criarmos a nossa profissionalidade, mais do que ela ser imposta pelo exterior.
Este o processo mais determinante, para a qual o papel dos blogues pode ser imprescindível.
Este teu blogue é-o, pelo menos.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Outro Olhar... só no blog...

. Novo lugar.

. Exemplos que (nada) valem...

. (Des)ordem...

. Outros olhares... a mesma...

. E esta?

. O blogspot encalhou.

. Bolonha aqui tão perto.

. Olhar distante.

. Faz de conta.

.arquivos

. Julho 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds