Segunda-feira, 22 de Março de 2004

Estágio precário (IV) (comentário)

Um comentário ao post do Miguel:
Eu acredito na pós-graduação, na formação contínua, na necessidade de renovarmos o conhecimento porque ele é efémero, no professor reflexivo. Creio que será legítimo para quem se compromete com a orientação pedagógica equacionar num horizonte temporal próximo uma pós-graduação em supervisão pedagógica. Porém não estou certo que a obrigatoriedade de uma certificação resolva o essencial do problema. Por hipótese do absurdo teríamos de aceitar que os actuais infractores estariam dispostos a certificar a sua incompetência. Será que ao exigirmos a obrigatoriedade de uma pós-graduação em supervisão pedagógica não estaríamos a promover um ritual (tal como acontece actualmente com a formação contínua creditada) que não trucidaria as perversidades que alastram no sistema? Que iria legitimar a continuidade das manigâncias que envolvem orientadores e supervisores?
publicado por Miguel Pinto às 23:49
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De misogena a 25 de Março de 2004 às 00:11
A iluminda é a Inocência, pós graduada em Ciências da Educação, uma idiota, claro! Obrigada!!Fica bem.
De miguel sousa a 23 de Março de 2004 às 16:34
quanto a este segundo comentário, é demasiado ...para que eu responda...deve ser algum(a) iluminado(a)...que pensa que pode estar na escola sem se formar...mas fica com o comentario que te fiz...para esclarecer a minha posição,,,um abraço

Caro amigo, agradeço o teu comentário que como sempre é pertinente, contudo tenho alguns reparos, que não ambicionam a ser correcções, mas sim ligeiras divergências de opinião, senão vejamos: 1º A obrigatoriedade da formação específica não aparece como remédio, mas sim como uma estratégia para minimizar o carácter auto-didacta que colocamos numa actividade extremamente importante e que justifica todas as medidas que possam diminuir a probabilidade de erro na formação profissional de futuros colegas, que ainda por cima são novos; 2º O problema dos infractores fazerem formação, pode ser colocado de duas maneiras: 1º é um problema da democracia, todos devem ter as mesmas oportunidades, resta é o sistema arranjar formas de controloatravés de inspecções pedagógicas; 2º todos nós temos formação para o ensino e mesmo assim existem os tais incautos infractores...esse problema não se resolve dando-lhes liberdade para continuar a cometer as asneiras, ao menos se sentirem obrigados a se especializarem, quem sabe possam mudar um pouco....
De misogena a 23 de Março de 2004 às 16:19
Olá meninos... pssstttt, os estágios vão acabar e já este ano os estagiários nem puferem concorrer para o concurso normal... que formação? falam de quê? Das balelas das Ciências da Educação? Mas estão doidos? A gente que dá essas cadeiras não é sequer profissionalizada, sabem lá o que se passa nas escolas...oh rapazes, por favor... fiquem bem:)))***
De Joao a 23 de Março de 2004 às 01:26
É um facto Miguel,mas penso que deve haver formação contínua à luz das sempre rupturas de paradigmas que surgem no ensino.Licenciei-me no ano passado,estava no plano educacional,mas desisti do estágio no último ano,depois de ter tirado algumas cadeiras da via edu.e digo sinceramente que não aprendi nada de pedagogia nem psicologia...fiquei com o canudo pela via cientifica.Agora terei que ir para uma Pós-graduação ou mestrado.Um abração!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Outro Olhar... só no blog...

. Novo lugar.

. Exemplos que (nada) valem...

. (Des)ordem...

. Outros olhares... a mesma...

. E esta?

. O blogspot encalhou.

. Bolonha aqui tão perto.

. Olhar distante.

. Faz de conta.

.arquivos

. Julho 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds