Terça-feira, 7 de Setembro de 2004

O poder

A educação é o poder mais alto. Embora o poder político seja o poder de referência, na base encontramos o poder pedagógico. Que boa forma esta de legitimar o poder do homem sobre o homem.
É neste quadro de convém perceber as movimentações sociais que visam limitar o acesso ao saber dos grupos economicamente vulneráveis. A massificação do ensino gerou a ascensão social de determinados estratos da população de parcos recursos económicos. A origem social deixou de constituir um factor determinante para o exercício de funções bem remuneradas.
Há que enquadrar a origem do nervosismo dos que bradam incessantemente pela crise da escola e que reclamam o direito de escolha da melhor escola para os seus.
Não sendo refutada a crença de que com a educação se alcança o maior bem-estar e a plenitude para os indivíduos e a sociedade, há que perceber que este discurso da crise e da ineficiência da escola satisfaz os arautos neoliberais.
O que mais me impressiona é a facilidade com que estes discursos foram assimilados pelo senso comum.
publicado por Miguel Pinto às 15:35
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Outro Olhar... só no blog...

. Novo lugar.

. Exemplos que (nada) valem...

. (Des)ordem...

. Outros olhares... a mesma...

. E esta?

. O blogspot encalhou.

. Bolonha aqui tão perto.

. Olhar distante.

. Faz de conta.

.arquivos

. Julho 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds